http://www.fides.org

News

2013-10-01

AMÉRICA/NICARÁGUA - “Não se pode mudar o país somente com as leis, devemos mudar primeiro nós mesmos”: Dom Baez sobre as modificações da lei 779

Masaya (Agência Fides) – A violência contra as mulheres desaparecerá do nosso país somente quando se conseguirá difundir os valores reais entre os jovens e as famílias: foi o que destacou o Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Manágua, Dom Silvio Baez, depois de celebrar, ontem, a Missa na festa do Santo padroeiro da cidade de Masaya, São Jerônimo. A nota enviada à Agência Fides refere que durante a sua homilia na igreja de São Jerônimo, o Bispo se dirigiu à comunidade com uma reflexão sobre as recentes reformas feitas pelos legisladores na Assembleia Nacional. Quarta-feira, 25 de setembro, foi modificada, com 83 votos a favor e quatro contra, a lei orgânica contra a violência sobre as mulheres, para introduzir o artigo 46, que prevê a figura de um mediador para o crime mais brando. Esta modificação provocou o protesto imediato dos grupos feministas, que se opõem a toda reforma da lei, e acendeu o debate em nível nacional. A lei 779, em vigor desde junho de 2012, é a "Lei contra a violência sobre as mulheres da Nicarágua". Proposta inicialmente para deter a violência e os inúmeros crimes cometidos contra as mulheres, a lei teve consequências negativas em relação à família, ao matrimônio, à união de casais, à integridade do lar doméstico... De fato, a aplicação imediata de sanções contra os homens acusados de atos de violência não permite a mediação entre agressor e vítima, e isso significou, em pouco tempo, um grande número de famílias separadas ou destruídas.
"A Nicarágua não mudará com a força das leis ou de decretos. A violência contra as mulheres não acabará com uma lei mais dura, independentemente do fato de que exista ou não a mediação na lei 779. Todos nós sabemos que a violência contra as mulheres e contra toda pessoa não acabará na Nicarágua antes que tenhamos um novo coração. Devemos começar a mudar a partir de dentro se queremos um país melhor", disse Dom Baez. (CE) (Agência Fides, 01/10/2013)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network