http://www.fides.org

News

2013-09-30

ÁSIA/COREIA DO SUL - O Arcebispo de Seul: “A visita do Card. Filoni é um estímulo para a Igreja na Coreia, que quer ser missionária”

Seul (Agência Fides) –“Agradecemos ao Card. Fernando Filoni pela sua visita, pela atenção e pelo apoio à Igreja coreana. Estamos honrados e nos sentimos abençoados pelo Senhor por sua presença entre nós”. Com essas palavras, expressas à Agência Fides, o Arcebispo de Seul, Dom Andrew Yeom Soo-jung, acolhe hoje o Card. Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, em visita pastoral no país de 30 de setembro a 6 de outubro. A visita tem como objetivo principal a celebração dos 50 anos da criação da diocese de Suwon, que o Card. Filoni visitará em 3 outubro. O Cardeal, que chegou hoje a Seul, amanhã encontra o Arcebispo e a cúria local, enquanto em 2 de outubro participará de um encontro com toda a Conferência Episcopal.
A visita do Prefeito do dicastério missionário – afirma a Fides Dom Yeom Soo-jung – “é um estímulo para nós a ser Igreja missionária”. O Arcebispo explica: “A Igreja na Coreia recebeu muito apoio de outras Igrejas. Agora chegou a hora para nós de ajudar as Igrejas que precisam, sobretudo na área do sudeste asiático, onde é urgente uma obra de evangelização. Creio que esta seja a missão que Deus deu à nossa diocese e à Igreja na Coreia”.
Traçando um quadro da igreja coreana e de suas raízes, o Arcebispo disse: “Atualmente, existem 16 diocese na Coreia, com mais de cinco milhões de fiéis católicos. A Arquidiocese de Seul é uma das maiores do mundo. A Igreja na Coreia chegou assim tão longe graças às bênçãos de Deus”. “O catolicismo – recorda – teve início na Coreia nos primeiros anos do século 17, graças a contatos de alguns representantes diplomáticos coreanos que encontraram sacerdotes jesuítas na China. Os sacerdotes deram a eles livros sobre a fé cristã, assim alguns estudiosos coreanos começaram a estudar a nova religião, confrontando-a com o néo-confucionismo, filosofia tradicional na Coreia.
A seguir, organizaram a primeira comunidade católica”.
Em 1824 a Igreja coreana enviou uma carta ao Papa para pedir missionários estrangeiros na Coreia. “A Santa Sé tentou enviar missionários à Coreia, mas ninguém podia entrar por causa de uma nova perseguição por parte do governo: centenas de católicos foram presos e mortos”, conta Dom Yeom Soo-jung. Em 9 de setembro de 1831, foi formalmente instituído o Vicariato Apostólico da Coreia e aos missionários das “Missões Estrangeiras de Paris” (MEP) se pediu que fossem responsáveis pela difusão da fé na Coreia. “Desde então, com o apoio da Congregação para a Evangelização dos Povos, a Igreja Católica na Coreia cresceu e prosperou. A visita do Cardeal Filoni hoje confirma o apoio e a bênção da Santa Sé e nos abre a novas perspectivas de evangelização”, concluiu. (PA) (Agência Fides 30/9/2013)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network