ÁFRICA/ RD CONGO - O M23 pede uma revisão das eleições de 2011; “a que título, se não recolheu consenso popular?”

Sexta, 25 Janeiro 2013

Kinshasa (Agência Fides) – Dentre os pontos que o M23, movimento de guerrilha ativa no Kivu do Norte (leste da República Democrática do Congo), pediu para discutir com o governo de Kinshasa nas negociações em ato em Campala, estão os resultados das eleições presidenciais de 2011, contestadas pela oposição.
“O M23, sem consenso popular por causa de uma guerra que prejudicou principalmente a população, decidiu atingir o governo em seus pontos mais vulneráveis e obscuros, como a falta de legitimidade popular após imbróglios eleitorais de novembro de 2011, a corrupção, a crise econômica, a falta de reforma da justiça e do exército, incapaz de defender a soberania nacional e a integridade territorial” – explica uma nota enviada à Agência Fides pela Rede "Paz para o Congo".
“São problemas que têm uma dimensão nacional e que não podem ser alvo de ‘negociações fechadas’ entre as duas delegações, do governo e do M23” – prossegue a nota. “O lugar apropriado para encontrar uma solução a estes problemas é um debate nacional do qual possam participar o governo, o parlamento, o oposição política e a sociedade civil”. “Este diálogo não deve deixar algum espaço para autoritarismos de maioria, revanches políticas ou novas subdivisões de poder entres falcões e pombos, mas deve ser um lugar de confronto aberto e sincero, à busca de soluções idôneas aos problemas reais que impedem ao país de caminhar rumo à democracia, a paz, a justiça, e o respeito dos direitos humanos” – conclui a nota. (L.M.) (Agência Fides 25/1/2013)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network