ÁSIA/HONG KONG - Carta pastoral do Card. John Tong: do Sínodo novos impulsos para viver o Ano da Fé

Sábado, 1 Dezembro 2012

Hong Kong (Agência Fides) – Os instrumentos privilegiados para viver o Ano da Fé são as indicações do Santo Padre Bento XVI expressas na Carta apostólica Porta fidei, os documentos da Santa é, o Sínodo dos Bispos, do Concílio Ecumênico Vaticano II, o Catecismo da Igreja Católica, além da Sagrada Escritura, da oração, dos sacramentos, do aprofundamento da fé e do testemunho. Quem o reitera é o Card. John Tong Hon, Bispo de Hong Kong, em sua Carta pastoral para o Ano da Fé, assinada no primeiro domingo de Advento, 2 de dezembro. Em Hong Kong, o Ano da Fé será aberto em 16 de dezembro, na conclusão do Ano diocesano dos Leigos. Segundo relatos de Kung Kao Bo, o semanário da Diocese de Hong Kong, no início da Carta o Cardeal Tong compartilha algumas reflexões expressas em três "por que" sobre o recente Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização, em que o cardeal foi um dos três presidentes delegados. Segundo o Cardeal Tong o Sínodo foi "maravilhoso, difícil possível". Maravilhoso enquanto "manifestou-se fortemente e profundamente, o espírito de unidade, santidade e catolicidade da Igreja em todos os Padres sinodais". Referindo-se à situação em Hong Kong, o Cardeal Tong escreve que depois de 1997 "desfrutamos ainda da plena liberdade religiosa como antes. Através de 51 paróquias, 244 escolas católicas e uma variedade de serviços sociais, sobretudo através da Caritas promovemos a" evangelização. Ainda mais maravilhoso é o fato de que temos mais de 1.000 catequistas voluntários e que celebramos 3.500 batizados adultos na Páscoa".
"Por que é tão difícil?" é a segunda questão que o cardeal responde: "A maioria dos Bispos está ciente de que estamos diante do difícil desafio da secularização, do materialismo e da indiferença". Hong Kong, não obstante atualmente conte 300 sacerdotes, 500 religiosas, 100 diáconos permanentes, irmãos religiosos e seminaristas, com uma idade média de 60 anos, sofre com a falta de novas vocações, uma vez que tem apenas 10 seminaristas. Enfim, "Por que é possível?". "Porque no espírito de sinceridade, abertura e comunhão, todos nós contribuímos para o Sínodo com a nossa valiosa experiência e sugestões valiosas".
Para viver de maneira concreta o Ano da Fé, o Bispo de Hong Kong oferece algumas indicações: deixar-se transformar por Cristo, melhorar a vida espiritual e viver uma conversão contínua e transformação, pedir a ajuda de Deus através da oração; estar unidos entre irmãos e irmãs, usar a tecnologia moderna para a Nova Evangelização, imitar a humildade de Cristo, testemunhar a nossa fé. (NZ) (Agência Fides 2012/12/01)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network