AMÉRICA/MÉXICO - O encontro entre os Presidentes de Estados Unidos e México é uma “oportunidade histórica” para resolver o drama da migração

Terça, 27 Novembro 2012

Cidade do México (Agência Fides) – Ao evento da semana, ou seja, o encontro de hoje na Casa Bianca entre o Presidente do México, Enrique Peña Nieto, e o Presidente estadunidense Barack Obama, para enfrentar várias questões bilaterais, inclusive os esforços de ambos os governos para ‘criar uma fronteira segura e eficaz’, é dedicado o editorial do semanal da Arquidiocese de Cidade do México "Desde la Fe", cuja cópia foi enviada à Agência Fides.
A Arquidiocese propõe uma reflexão sobre este evento ligando-a à Mensagem do Papa Bento XVI para o Dia Mundial dos Migrantes, em que o Papa reflete sobre a esperança que milhões de pessoas nutrem de encontrar acolhimento, solidariedade e ajuda em outras nações, vistas as poucas oportunidades de desenvolvimento de que podem usufruir em seus países de origem.
O texto do editorial prossegue: "O que emergirá deste encontro terá também um forte impacto sobre o governo do Presidente Peña Nieto, para construir um projeto a longo prazo, com criatividade e coragem, para transformar o que, de outro modo, seria uma falência irreparável, considerando que os mexicanos que vivem nos Estados Unidos e seus descendentes se tornarão, na medida em que mantiverem seus laços com o México, um componente social, política e econômica de grande importância".
O editorial recorda as tarefas urgentes dos dois países: os Estados Unidos, uma reforma da lei sobre a migração capaz de mudar a política de imigração e a regularização daqueles que vivem na clandestinidade; o México deve trabalhar para resolver os problemas que levam a população a emigrar, como a violência e a falta de empregos, além de proporcionar um ambiente em que a justiça social e a igualdade contribuam para o desenvolvimento do país. Se o encontro falir a este respeito, lembra sempre o editorial, "nos próximos anos vamos ver um fluxo de clandestinos em condições mais extremas e perigosas, uma grande desagregação familiar e mais de sete milhões de mexicanos sem documentos viverão na incerteza, na vulnerabilidade e exploração, expostos a prisão, deportação, discriminação e violação de seus direitos individuais. "O texto conclui: "A mensagem do Santo Padre hoje tem dois destinatários: o México e os EUA, cujos governantes têm diante de si uma oportunidade histórica Esperemos que saibam tirar proveito". (CE) (Agência Fides, 27/11/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network