http://www.fides.org

Africa

2012-11-07

ÁFRICA/SUDÃO DO SUL - Esclarecimentos do Bispo de Torit sobre a contribuição para a reconstrução da Catedral por parte de estudantes muçulmanos

Juba (Agência Fides) – Em relação à proposta de um grupo de jovens muçulmanos de contribuir para a reconstrução da Catedral de Torit (no Sudão do Sul), um comunicado, emitido em nome de Dom Akio Johnson Mutek, Bispo de Torit, esclarece a situação.
O documento, enviado à Agência Fides, recorda que um ano atrás um grupo de estudantes muçulmanos de Darfur, num encontro com Dom Mutek, se declarou disponível a contribuir para a reconstrução da Catedral de São Pedro e Paulo e da igreja da paróquia de Kimotong, como gesto de reconhecimento por aquilo que Lopez Lomong, atleta americano de origem sudanesa (e ex-menino soldado que fugiu de seus algozes), estava fazendo por Darfur. Lamong, membro do "Team Darfur" nas Olimpíadas de Pequim, tinha lançado um apelo à comunidade internacional para que intervisse para deter os bombardeios aéreos contra os civis de Darfur.
Vista que essa proposta suscitou algumas incompreensões entre os fiéis, Dom Mutek deseja precisar os fatos através de um comunicado em que se afirma: Dom Mutek não solicitou nenhuma ajuda por parte deste grupo, a oferta é fruto de uma iniciativa espontânea; os estudantes fazem parte de uma fundação sem fins lucrativos com base nos EUA, a Sudan Sun Rise, que tem entre os seus objetivos favorecer a reconciliação entre as comunidades do Sudão do Sul e do Sudão; a reconstrução da Catedral ainda está em fase de diálogo entre a diocese e o grupo de estudantes e nenhuma decisão definitiva foi tomada; os estudantes afirmaram com clareza que não têm nenhuma fonte de financiamento, mas que pretendem recolher fundos através de uma campanha mediática conduzida nos EUA e na Europa; a diocese não tem conhecimento de nenhuma outra organização à qual os estudantes estão ligados, com exceção da Sudan Sun Rise; os estudantes prometeram uma “contribuição financeira” e não reconstruirão a Catedral sozinhos.
"A diocese está muito atenta e sensível às preocupações expressas pelos cristãos e quer, portanto, tranquilizar a opinião pública, e especialmente os fiéis, de que nada foi até agora concretamente realizado. As consultas continuam para fazer de modo que cada aspecto desta delicada questão seja meticulosamente enfrentado, esclarecido e compreendido por todos", conclui o comunicado.
A Catedral sofreu diversos danos durante as décadas de guerra civil, mas “sempre permaneceu símbolo de uma longa história de profunda fé e de tradição religiosa da Igreja local". (L.M.) (Agência Fides 7/11/2012)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network