ÁFRICA/MADAGASCAR - Luta contra a desnutrição de crianças com menos de 5 anos que sofrem de raquitismo

Sexta, 21 Setembro 2012

Antananarivo (Agência Fides) - Em Madagascar, cerca da metade das crianças com menos de 5 anos são raquíticas por causa dos efeitos irreversíveis da desnutrição durante os primeiros mil dias de vida. Estas crianças estão expostas a um risco maior de contrair doenças e de baixo desenvolvimento cognitivo, bem como a morte prematura. O país africano é o sexto que tem a maior taxa de raquitismo no mundo, a pobreza é a principal causa. Segundo estimativas publicadas pelo Southern Africa Regional Food Security Update 2012, 80% dos 20 milhões de habitantes de Madagascar vivem com um dólar por dia ou até menos, e as famílias pobres gastam cerca de três quartos de sua renda com a compra de alimentos. Outro fator que contribui para o raquitismo na ilha é formado pelas altas taxas de infecções contraídas durante a gravidez e a infância. A alimentação precária faz com que as garotas não alcancem o pleno desenvolvimento físico até a idade de 21 anos, idade em que muitas delas já são mães. Cerca de 39% das mulheres malgaxes têm um metro e meio de altura e maiores probabilidades de dar à luz crianças com baixo peso. Na capital, Antananarivo, a preferência da população de comer flocos de arroz impede uma dieta variada e, portanto, tem um impacto negativo na alimentação. Em nível nacional, em 6 mil centros foi iniciado um programa de nutrição com o objetivo de melhorar a saúde alimentar. Os centros oferecem propostas nutricionais e aulas de culinária para incentivar o consumo de uma grande variedade de alimentos nutritivos locais disponíveis mais baratos. Além disso, ali são as monitoradas crianças menores de 5 anos. (AP) (21/9/2012 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network