AMÉRICA/PERU - "Trabalho numa igreja viva, dinâmica, onde há a participação de todos", afirma Dom Miguel Olaortúa, Vigário apostólico de Iquitos, na floresta amazônica

Sábado, 15 Setembro 2012

Roma (Agência Fides) - "É uma igreja viva, dinâmica, com muita participação e empenho na sociedade: são valores que entusiasmam, que fazem entender a consideração que os fiéis têm por seus Pastores".
Então Dom Miguel Olaortúa Laspra, OSA, Vigário Apostólico de Iquitos e Administrador Apostólico de San José del Amazonas, no Peru, descreve à Agência Fides a circunscrição eclesiástica que lhe foi confiada, numa pausa dos trabalhos do Seminário promovido pela Congregação para a Evangelização dos Povos para os Bispos recém-nomeados, que está se concluindo em Roma (veja Fides 01/09/2012).
"Iquitos é uma cidade no meio da floresta, numa área muito extensa da Amazônia peruana – explica o bispo. Em primeiro lugar devo dizer que sinto uma grande alegria pelo acolhimento das pessoas que falam a minha língua, o espanhol. Embora existam diferenças culturais, não se consegue entender bem e sobretudo a trocar muitas coisas. As pessoas te acolhem com um calor especial, calor que se sente no clima: ao longo do ano existe o calor da floresta e o calor das pessoas, especialmente nas manifestações de sua fé, nas devoções. As pessoas do local tem uma grande consideração pelo seu Pastor: eu cheguei há pouco, mas as pessoas fazem com que eu me sinta em casa".
Sobre as dificuldades encontradas para cumprir a sua missão neste novo contexto, vindo da Espanha, onde era acostumado ao trabalho nas paróquias, Dom Miguel Olaortúa Laspra disse: "Aqui é outra coisa: a cultura, as pessoas, as distâncias, as comunidades muito distantes uma da outra, a geografia, o clima, etc. Tudo surpreende: na floresta não há estações do ano, é sempre verão. A cultura gira completamente em torno da natureza e o modo de enfrentar a vida é completamente diferente. As pessoas vivem com calma e paciência, ao contrário de nós, europeus que estamos sempre ansiosos, apreensivos sobre o que fazer. Então, elas vivem a vida na maneira mais essencial, mais humana, sem criar contínuos obstáculos".
Um dos problemas mais importantes que o bispo observou é a falta de formação, em todos os níveis: "Há agentes pastorais com muita boa vontade, mas lhes falta uma formação abrangente e aprofundada. Esta carência também se reflete no enfrentar a vida diária: por exemplo, não se sabe o que seja economizar, se vive o cotidiano, com todas as consequências".
Dom Miguel Olaortúa Laspra, OSA, nasceu em 1962 e desde 1982 é religioso da ordem de Santo Agostinho; foi ordenado sacerdote em Bilbao (Espanha), sua cidade natal, em 4 de outubro de 1987. Em 2 de fevereiro de 2011 foi nomeado Vigário Apostólico de Iquitos, no Peru, e em 8 de agosto de 2011 Administrador Apostólico de San José del Amazonas, também no Peru. (CE) (Agência Fides, 15/09/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network