ÁFRICA/MALI - O Presidente do Mali pediu a intervenção de tropas da CEDEAO para reconquistar o norte e proteger as instituições

Quarta, 5 Setembro 2012

Bamako (Agência Fides) - Il Presidente ad interim do Mali, Dioncounda Traoré, pediu oficialmente à CEDEAO (Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental, conhecida também com a sigla inglesa ECOWAS) o envio de forças militares para ajudar o exército maliano a reconquistar o norte do país, tirando-o de grupos armados que o controlam há meses e para contribuir para a segurança das instituições nacionais. "Ainda não está claro se este pedido foi feito em pleno acordo com os altos vértices militares malianos", afirma à Agência Fides Pe. Edmond Dembele, Secretário-Geral da Conferência Episcopal do Mali.
"A questão foi discutida nas semanas passadas pelo governo e pelos comandos militares", explica Pe. Dembele. "Estes se opunham ao pedido de tropas da CEDEAO para garantir a proteção das instituições. Para os comandos militares, se houver uma intervenção militar da CEDEAO no Mali, esta deve ser finalizada unicamente para reconquistar o norte. Segundos os militares, as instituições de Bamako devem ser protegidas somente por soldados malianos".
Em março, um golpe militar destituiu o Presidente legítimo e somente graças às pressões internacionais a junta militar retrocedeu, permitindo a criação de instituições provisórias à espera de novas eleições. "No pedido apresentado pelo Presidente ad interim se faz referência também à proteção das instituições. Não sabemos, portanto, se o passo do Presidente foi feito de acordo com o exército ou se, ao invés, se tratou de uma ação unilateral do Chefe de Estado. Certamente, o exército maliano pretende contar com a ajuda estrangeira para reconquistar o norte", conclui Pe. Dembele. (L.M.) (Agência Fides 5/9/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network