ÁFRICA/QUÊNIA - Meninos de rua e famílias sem tratamento para o HIV e tuberculose

Sábado, 25 Agosto 2012

Nairóbi (Agência Fides) - Mais de 150 mil famílias e 450 mil crianças vivem completamente sem nenhum tipo de assistência médica nas ruas das principais cidades do Quênia. Segundo os agentes de saúde locais de Pumwani Hospital de Nairóbi, muitos desabrigados evitam o contato com as estruturas de saúde por medo de serem discriminados, presos ou maltratados se forem ao hospital, tornando-se particularmente vulneráveis a infecções contagiosas como HIV e tuberculose. O que piora ainda mais sua situação são as precárias condições de vida em se encontram que os predispõem a alimentação precária, acesso inadequado aos centros de assistência e falta de cuidados médicos. No elenco da Organização Mundial da Saúde, que define os 22 países onde existe a taxa de infecção por tuberculose mais elevada no mundo, o Quênia é o 15º, e o 5º na África. As pessoas que vivem nas ruas estão sujeitas a abusos sexuais, exploração e uso de drogas, que os colocam em risco de contrair o HIV. Segundo os oficiais do Governo, é difícil estabelecer programas de prevenção e tutela para essas famílias por causa de seu modo de vida sempre nômade. Na verdade, não vivendo agrupados em locais conhecidos, não é fácil chegar até eles e é quase impossível ajudá-los. (AP) (25/8/2012 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network