ÁFRICA/MADAGASCAR - A desnutrição crônica é uma crise silenciosa: um dos problemas mais graves no país

Quarta, 18 Julho 2012

Antananarivo (Agência Fides) - Madagascar é um dos seis países onde se registra o maior índice de desnutrição no mundo. A metade de todas as crianças do país com menos de cinco anos de idade sofre de desnutrição crônica, e diversificar sua alimentação é um elemento-chave do Programa Nacional de Nutrição Comunitária iniciado em 6 mil centros de toda a região insular africana. A desnutrição crônica, na verdade, não depende apenas do acesso ao alimento, mas também de sua variedade. Os habitantes do país estão acostumados a comer arroz, mas é necessário que aprendam a variar sua alimentação e a de seus filhos em base aos produtos locais. O objetivo do programa é demonstrar como preparar os alimentos e, especialmente, como se conservam os gêneros alimentícios.
No centro nutricional de Rantolava, a 450 km da capital, foi reservado um espaço para o cultivo de várias hortaliças como abobrinha, tomate, repolho, moringas, batata-doce, vagem e repolho chinês. Ao contrário da desnutrição grave, que se manifesta por uma queda drástica de peso, os efeitos da desnutrição crônica são menos evidentes e se mostram de uma forma mais sutil, atrasando o crescimento. Os pais muitas vezes não percebem que seus filhos estão sofrendo, em comparação com as crianças normais são mais frágeis e mais vulneráveis a doenças como diarreia ou malária. Mesmo o desenvolvimento cognitivo é limitado e não têm bons resultados nas escolas. No entanto, a diversificação de dietas infantis não é a solução para o problema em Madagascar. Segundo o UNICEF, é igualmente importante melhorar o acesso a água potável, higiene e assistência de saúde, reduzir os casamentos precoces e melhorar a alimentação de adolescentes e mulheres, principalmente as grávidas e lactantes. (AP) (18/7/2012 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network