http://www.fides.org

Africa

2012-07-16

ÁFRICA/BURKINA FASSO - Fome e insegurança na base do êxodo de refugiados do Mali; o projeto da Camillian Task Force

Dori (Agência Fides) - "Fome e insegurança são a força motriz por trás desse êxodo que, se não ainda assumiu proporções bíblicas, parece ser destinado a crescer": foi o que disse à Agência Fides Irmão Luca Perletti, camiliano, descrevendo a situação dos refugiados do Mali que fugiram de seu país, e estão encontrando refúgio em Burkina Fasso. Irmão Luca Perletti e Pe. Paolo Guarise, Camilianos (MI), acabam de voltar de uma visita à Diocese de Dori (Província de Seno), no nordeste de Burkina Fasso, para estudar um possível compromisso da Camillian Task Force (CTF) em favor das populações de refugiados do Mali.
No Mali está em andamento uma ofensiva perpetrada por grupos fundamentalistas islâmicos, cujo objetivo é o estabelecimento de um regime de estrita observância. "Por esta razão, um número significativo de pessoas está fugindo para os países vizinhos, particularmente em Burkina Fasso – disse à Fides Irmão Luca. O que estimulou mais a fuga foi a fome que atingiu as lavouras do ano passado".
"Tomando a Diocese de Dori como confim geográfico de nossa intervenção, observamos que a população de refugiados se espalhou numa vasta área, tanto que para chegar a alguns campos são necessárias até 4 horas de carro – disse à Fides Irmão Luca Perletti. Em nossa opinião, a emergência está apenas em sua fase inicial, com uma forte presença de instituições supranacionais nomeadas para tomar conta dos refugiados. Dentre os objetivos desta fase: a criação de condições ideais para a sobrevivência em relação à higiene, água, saúde e alimentação; controle do território, o registro dos refugiados e a atribuição dos espaços; além da prevenção, assegurar que o fluxo migratório ocorra no respeito dos direitos recíprocos da população hóspede e das pessoas que assumem o status de refugiados”.
“Um dos previsíveis problemas– prossegue o missionário camiliano – pode ser o conflito com a população anfitriã, que se dedica à agricultura de subsistência e ao pastoreio em uma área pré-desértica e com elevado índice de pobreza. O risco é que o processo migratório agrave as condições de vida da população local que já sofreu os efeitos da recente penúria, com uma safra bastante escassa. Durante a visita, tentamos entender as maiores carências, em vista de um possível envolvimento da CTF".
O papel da CTF será integrar o esforço das Organizações já partícipes, a fim de cobrir as áreas ainda descobertas. Foram também estabelecidos contatos especialmente com a OCADES Dori, a Caritas local, há tempos empenhada em projetos de caridade e desenvolvimento na diocese. A região de Dori é em 95% muçulmana e a pequena comunidade cristã soube atribuir-se um espaço justamente graças às obras de caridade e desenvolvimento. OCADES foi escolhida como parceira da CTF por esta intervenção, em razão de sua presença no território. O plano de ação da CTF obteve a adesão da diocese e a disponibilidade em colaborar da Vice-província camiliana de Burquina-Fasso. O projeto, que durará 6 meses, abrange três áreas (higiene, alimentação e saúde) e se realizará nos campos visitados, diversificando os programas segundo as prioridades de cada um. (AP) (16/7/2012 Agência Fides)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network