ÁFRICA/LÍBIA - "A Líbia é livre, mas esta liberdade deve ser sempre reconquistada" - diz Dom Martinelli

Terça, 5 Junho 2012

Trípoli (Agência Fides) - "A situação voltou à calma. Esta manhã, por volta das 7h, saímos da Missa e não notamos nada de especial” – diz à Agência Fides Dom Giovanni Innocenzo Martinelli, Vigário Apostólico de Trípoli, aonde ontem a tensão aumentou depois que uma milícia ocupou por algumas horas o aeroporto civil. O ataque foi realizado pela brigada Al -Awfea de Tarhuna, cidade a 80 km a sudoeste de Trípoli, que pede a libertação de um de seus líderes, desaparecido em circunstâncias não muito claras em Trípoli. Após a ocupação, o tráfico aéreo foi interditado. Depois de algumas horas, o Vice-Ministro do Interior, Omar al-Khadrawi, anunciou que as autoridades retomaram o controle do aeroporto. O Vice-Ministro afirmou que dezenas de ocupantes foram presos e tiveram suas armas confiscadas.
“Este episódio se insere em uma dialética interna que ainda deve ser construída, esperando que se passe ao diálogo e se abandonem as armas. A Líbia é livre, mas esta liberdade deve ser sempre reconquistada. É um treino contínuo para aprender a dialogar” – frisa Dom Martinelli.
As tensões em Trípoli e Bengasi (aonde na noite de ontem houve atritos entre a polícia militar e um bando local), parecem se relacionar com as eleições para a Assembleia Constituinte, previstas para meados de junho e que provavelmente serão adiadas. “A opinião comum é que as eleições serão adiadas para julho, antes do início do Ramadão” – diz Dom Martinelli.
O Vigário Apostólico de Trípoli continua, todavia, confiante em relação à evolução da Líbia e assegura que “a comunidade católica prossegue seu caminho e seu serviço ao povo líbio com coragem. Assumimos como nossa a exortação do Papa Benedetto XVI: "coragem", aceitando plenamente suas palavras”. (L.M.) (Agência Fides 5/6/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network