ÁFRICA/Sudão do Sul - A tensão entre Sudão e Sudão do Sul ameaça se transformar em guerra

Quinta, 12 Abril 2012

Juba (Agência Fides) - O Sudão do Sul não tem a intenção de retirar suas tropas da disputada região de Heglig, rica em petróleo, tirada em 10 de abril das mãos de soldados de Cartum, declarou hoje, diante do Parlamento em Juba, o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir. Hegligl, no território sudanês, é uma das áreas na fronteira entre os dois países, que são contestadas pelos governos de Juba e Cartum. Outra área é a de Abyei, atualmente ocupada pelos militares de Cartum. Kiir ameaçou enviar suas tropas se a ONU não forçar o Governo sudanês a retirar seus militares. As duas localidades são importantes centros de extração de petróleo.
O Sudão do Sul também denunciou o bombardeio feito por aviões de Cartum e Bentiu, capital do Estado do Sudão do Sul de Unidade.
Aumenta a tensão entre o Sudão e o Sudão do Sul com o risco de que os combates das últimas semanas se transformem numa guerra. Os Parlamentos dos dois Estados convidaram as respectivas populações a se prepararem para um conflito de amplas proporções. Enquanto isso, os dois países continuam a se rearmar. Segundo o site "Sudan Tribune", citando o jornal queniano "The Star", desembarcaram em Mombasa (no Quênia), alguns veículos blindados chineses destinados ao Sudão do Sul. A China se encontra numa posição muito delicada, porque o petróleo que compram no Sudão do Sul deve transitar pelo território do Sudão para ser embarcado rumo à Ásia. Pequim mantém boas relações com Cartum e Juba e procurou mediar entre as duas partes na disputa relativa às funções para o uso do petróleo sudanês. (L.M.) (Agência Fides 12/4/2012)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network