http://www.fides.org

Africa

2012-02-24

ÁFRICA/BURQUINA FASSO - Milhares de deslocados tuaregues nas áreas de conflito de Mali, a situação piora

Uagadugu (Agência Fides) - Pelo menos 8 mil tuaregues que fugiram dos combates no Mali encontraram refúgio em Burkina Fasso, em condições precárias. O Governo se organizou para estabelecer uma comissão de coordenação para reunir refugiados, atualmente espalhados pelas áreas ocidentais e sahelianas do país, num lugar mais central e proporcionar-lhes educação e saneamento. A situação humanitária é alarmante: muitos dos deslocados vivem ao ar livre e as más condições do tempo, agravadas pelos ventos secos e poeirentos harmattan, favorecem a difusão de doenças; alimento, água potável e saneamento são precários, disse um responsável pela Cruz Vermelha em Burkina Fasso. As pessoas precisam urgentemente de ajuda para sobreviver, precisam também de cobertores, utensílios de cozinha, tapetes e cortinas. Quarenta voluntários da Cruz Vermelha já estão em ação. Desde o início de fevereiro chegaram a região cerca de 4 mil deslocadas e o fluxo continua em Inabao e Deou, província Oudalan e Mentao, Província de Soum.
Esta situação infelizmente ajudará a piorar a precariedade de alimento atual. O Governo declarou que nas 146 das 350 prefeituras choveu muito menos este ano e que se poderia enfrentar uma penúria. Segundo a Comissão Internacional da Cruz Vermelha (ICRC), pelo menos 30 mil deslocados no Mali estavam em condições precárias por causa dos combates no norte do país em andamento desde meados de janeiro. Em Aguelhoc, a 150km a nordeste de Kidal, no Mali, os sangrentos confrontos obrigaram cerca de 4 mil pessoas a abandonarem suas casas. A maior pare tinha pouca comida e vivia em refúgios improvisados na região semidesértica. Alguns encontraram abrigo nas famílias. A ICRC junto com a Cruz Vermelha do Mali se organizaram para a distribuição de milho, arroz, óleo e sal, cobertas, colchões, baldes, utensílios de cozinha e artigos para a higiene pessoal. A Cruz Vermelha do Mali providenciou o envio urgente de alimento para 600 deslocados em condições particularmente graves. Segundo as duas organizações internacionais, em Ménaka, na região de Gao, os confrontos obrigaram cerca de 26 mil pessoas a abandonarem suas casas a procura de abrigo, tanto dentro quanto fora da cidade. A ICRC está monitorando a situação em Tessalit (região de Kidal), Léré e Niafunké (região de Timbuktu), envolvidas nos confrontos de Mali. Segundo fontes locais, nestas áreas podem chegar ainda 20 mil deslocados. Os confrontos em
Menaka e Andéramboukane obrigaram outras 15 mil pessoas a buscarem abrigo também no Níger, no norte de Tillabery, além do confim com o Mali. (AP) (24/2/2012 Agência Fides)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network