http://www.fides.org

Vaticano

2012-02-17

VATICANO - O Papa aos Bispos de África e Europa: a Igreja nos dois continentes “está viva, em crescimento, e não tem medo de realizar sua missão evangelizadora"

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - "O Simpósio lhes ofereceu a ocasião para refletir sobre os problemas da Igreja nos dois continentes. Certamente, esses não faltam e, às vezes, são relevantes; mas, de outro, são também a prova de que a Igreja está viva, que cresceu, e não tem medo de realizar a sua missão evangelizadora. Por isso, ela necessita da oração, do empenho de todos os fiéis": foi o que destacou o Santo Padre Bento XVI durante a audiência de 16 de fevereiro aos participantes do Simpósio do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) e do Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar (SECAM/SCEAM), que se realizou esses dias, em Roma, sobre o tema: "A evangelização hoje: comunhão e colaboração pastoral entre a África e a Europa. O homem e Deus: a missão da Igreja de anunciar a presença e o amor de Deus". No seu discurso, o Pontífice reiterou que “a evangelização é parte integrante da vocação de todos os batizados, que é vocação à santidade. Os cristãos que têm uma fé viva e que estão abertos à ação do Espírito Santo se tornam testemunhas com a palavra e a vida do Evangelho de Cristo. Aos Pastores, porém, é confiada uma particular responsabilidade."
Dando graças a Deus “pelos frutos espirituais que brotam das relações de amizade e de cooperação entre as comunidades eclesiais” dos dois continentes, o Papa disse: “A partir de ambientes culturais, sociais e econômicos diferentes, vocês valorizaram a comum tensão apostólica para anunciar ao seu povo Jesus Cristo e o seu Evangelho, no estilo do ‘intercâmbio de dons’. Continuem nessa fecunda estrada de fraternidade operosa e de unidade de intenções, ampliando sempre mais os horizontes da evangelização". E, portanto, recomendou de "manter presente o elo fundamental entre fé e caridade, porque eles se iluminam reciprocamente em sua verdade".
Olhando depois para os desafios do presente que os Bispos dos dois continentes encontram diante de si, Bento XVI citou em primeiro lugar a indiferença religiosa, num ambiente secularizado e muitas vezes hostil à fé cristã. "Outro desafio para o anúncio do Evangelho é o hedonismo, que contribuiu para fazer penetrar a crise de valores na vida cotidiana, na estrutura da família, no próprio modo de interpretar o sentido da existência. Sintoma de uma situação de grave mal-estar social é também a expansão de fenômenos como a pornografia e a prostituição", o Pontífice exortou no entanto a não se desencorajar, contando com a realidade de que "Cristo ressuscitado está sempre conosco" e que "nas sociedade da África e da Europa estão presentes não poucas forças positivas".
Entre as recomendações dirigidas ao Episcopado dos dois continentes, o Santo Padre colocou a família no centro da atenção dos Pastores, enquanto, como igreja doméstica, "é também a mais sólida garantia para a renovação da sociedade"; portanto, a promoção das vocações sacerdotais e de consagração, o cuidado dos jovens ("seguidos com especial cuidado em seu crescimento humano e espiritual, encorajando também as iniciativas de voluntariado que possam ter valor educativo"), e a promoção de "toda autêntica forma de cultura", de modo que "a luz do Evangelho se insira no tecido cultural, elevando-o e fazendo fecundar suas riquezas". (SL) (Agência Fides 17/02/2012)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network