ÁSIA/CHINA - Descobertos textos da Sagrada Escritura e da história de Nossa Senhora em tibetano que datam dos anos 30 na única paróquia do Tibete

Segunda, 14 Novembro 2011

Tibete (Agência Fides) – Foram recentemente descobertos textos da Sagrada Escritura e da história de Nossa Senhora em tibetano, em excelente estado, na única paróquia católica tibetana, na paróquia de Mang Kang (ou Shang Yan Jing). Segundo o que refere à Agência Fides Faith de Hebei , os 45 volumes da Bíblia em tibetano foram traduzidos e publicados em 1931, enquanto 489 questões da História da Virgem Maria são de 1932. Segundo os especialistas, são os únicos textos católicos em tibetano preservados em condições tão perfeitas. Muitos fiéis pediram para reimprimir estes dois textos, que ainda são úteis para a vida da Igreja e da missão da paróquia (ver Fides 29/04/2010).
A paróquia de Mang Kang (ou Shang Yan Jing) foi construída em 1855, com a chegada a Yan Jing dos missionários da Sociedade para as Missões Exteriores de Paris (MEP). O estilo arquitetônico é uma mistura de Han e tibetana, com dezenas de afrescos dedicados à Virgem Maria e Jesus e uma Cruz gigante também é vista de longe. De 1865 a 1959 existiam 17 missionários em Yan Jing, dentre eles 7 foram martirizados junto com 11 leigos locais. A paróquia foi reaberta em 24 de dezembro de 1988. Hoje, a paróquia conta um sacerdote tibetano que é o pároco, duas religiosas idosas e duas noviças, e 740 fiéis leigos. Celebram-se duas missas nos dias comuns e três aos domingos. Uma senhora idosa de 84 anos do povoado sabe de cor toda a Bíbliaem tibetano.
Segundo a história do catolicismo tibetano apresentada por Faith, o missionário franciscano, agora Beato, Pe. Odorico Mattiuzzi de Pordenone (1265-1331), grande colaborador do Beato Giovanni de Montecorvino, Arcebispo de Pequim, em seu retorno de Pequim fez o caminho passando pelo Tibete em 1328. Então, ele se tornou o primeiro ocidental que foi ao Tibete na história chinesa e também o primeiro sacerdote católico que chegou ao Tibete na história do catolicismo chinês, começando mais de 700 anos de história do catolicismo tibetano. Essa viagem também foi contada em seu famoso diário sobre sua missão no Extremo Oriente. Nos anos 1603, 1633, 1640 e 1661, sempre houve missionários jesuítas na evangelização do Tibete que tentaram a evangelização, mas, infelizmente, sempre foram mortos ou expulsos ou forçados a fugir. Em 1707, os missionários Lazaristas (CM) italianos chegaram ao Tibete, como lembrado por um grande sino no Templo de Jokhang, em Lhasa (em tibetano "trono de Deus"), que foi dado pelo Pe. Desideri, CM, em 1729. Em 1741, foram enviados para missão tibetana outros 9 missionários Lazarists, que porém foram obrigados a se retirar em 1745 por fortes contrastes com o Dalai Lama. Em 1812, o primeiro missionário leigo chinês tentou a evangelização do Tibete, mas foi expulso imediatamente. Em 1846, o superior dos Lazaristas da comunidade da Arquidiocese de Pequim enviou dois missionários para o Tibete. Em 1861, foi criado o Vicariato Apostólico Tibetano. Em 1890, havia mais de mil fiéis católicos tibetanos. Em 1920, eram 776 católicos no Tibete, 1.222 na área tibetana da província de Si Chuan, 1.544 na área tibetana da província de Yun Nan. No 800, chegaram ao Tibete os missionários do MEP e em 1933 os Agostinianos, todos expulsos com a revolução cultural. (NZ) (Agência Fides 2011/11/14)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network