http://www.fides.org

Africa

2004-09-23

ÁFRICA/MADAGASCAR - “Em meio a tantas dificuldades, a mensagem da Igreja é sempre de vida, de estímulo, de esperança” - diz à Fides Dom Gustavo Bombin Espino, Bispo de Tsiroanomandidy

Roma (Agência Fides) - “A juventude e a emigração são os principais desafios que atualmente enfrento. De fato, minha diocese tem uma população muito jovem: 75% das pessoas têm menos de 25 anos. A própria diocese é muito jovem: foi erigida 46 anos atrás e os primeiros batismos neste território ocorreram m século atrás. Também é uma área de imigrantes, com grandes extensões pouco habitadas”. Com estas palavras, o Bispo de Tsiroanomandidy, em Madagascar, Dom Gustavo Bombin Espino, O.S.S.T, originário da Espanha, apresenta à Agência Fides a diocese da qual é Bispo há 7 meses, e aonde trabalhou por 17 anos como missionário. “Devemos acolher imigrantes e jovens, oferecer-lhes assistência espiritual e humana, para evitar que percam a fé”.
“Uma das minhas prioridades é a educação” - continua Dom Bombin. “Existem poucas escolas católicas no território. Nosso objetivo é que cada igreja tenha uma escola e uma biblioteca. No total, hoje, existem 340 igrejas, 170 escolas e 40 bibliotecas, portanto, há ainda muito que fazer. Queremos também melhorar as que já funciona, e estamos trabalhando num projeto para isso, além de procurar financiamentos para realizá-lo”.
A formação de seminaristas, catequistas, e agentes pastorais é outro âmbito que requer empenho e atenção. O Conselho Pastoral da Diocese, recém-formado, explica o Bispo, é composto em grande maioria por leigos, que têm um papel muito importante na Igreja local. A primeira Assembléia geral se realizará em fins de setembro.
O Madagascar é um país com muitas vocações, recorda Dom Gustavo Bombin Espino. “Minha diocese, embora jovem e com muitos imigrantes, possui muitas vocações, sobretudo femininas. Nos últimos anos, tem aumentado também o número de vocações masculinas, seja para religiosos como sacerdotes. Temos 9 seminaristas maiores e 15 menores. Neste período, estou lançando um apelo às comunidades religiosas, femininas e masculinas, pois, com a minha experiência de missionário, pude ver que o problema principal é a falta de continuidade. Trabalha-se e evangeliza-se, passando de um lugar a outro, mas normalmente, a presença não é contínua”.
“Todavia, olho ao futuro com muita esperança - conclui Dom Gustavo Bombin Espino. Escolhi como lema episcopal “Vida e Esperança”, porque creio que, não obstante todos os problemas e dificuldades, a mensagem da Igreja é sempre de vida, estímulo, e esperança”. (RG) (Agência Fides 23/9/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network