http://www.fides.org

Intenção Missionária

2010-10-29

INTENÇÃO MISSIONÁRIA - “Para que as Igrejas da América Latina prossigam a Missão Continental proposta pelos seus bispos, inserindo-a na universal tarefa missionária do Povo” - Comentário da Intenção Missionária de novembro 2010

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – De 13 a 31 de maio de 2007 realizou-se em Aparecida (Brasil), a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, inaugurada com a presença e as palavras do Papa Bento XVI. Teve como tema "Discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que nossos povos Nele tenham vida".
Na mensagem final, de 29 de maio de 2007, os bispos expressaram o seu desejo, em união com toda a Igreja, de "abraçar todos os irmãos e irmãs do continente para transmitir o amor de Deus e o nosso”. Com a força do Espírito Santo, convidaram todos os católicos, unidos e entusiasmados, para realizar uma Grande Missão Continental. Esta missão deve ser um novo Pentecostes que incentiva a buscar, de maneira especial, os católicos que se afastaram e o aqueles que pouco ou nada conhecem de Jesus Cristo. Essa missão deve chegar a todos, ser permanente e profunda.
Todos devem sentir a responsabilidade de evangelizar aqueles que estão mais próximos, porque vivem no seu próprio país ou por motivos de relação de sangue, percebendo que se tratar de cooperar concretamente ao desejo de Cristo que o Evangelho chegue ao "mundo inteiro". A Igreja latino-americana é abençoada por Deus com muitas vocações. Aqueles que receberam o Evangelho da velha Europa, são agora missionários em muitas partes do Ocidente cristão que está atravessando uma grave crise.
No discurso inaugural que o Santo Padre se dirigiu aos participantes da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, Bento XVI recordou que a fé cristã significou para a América Latina conhecer e aceitar Cristo, o Deus desconhecido que seus antepassados buscaram, sem saber, em suas tradições religiosas. Pelas águas do batismo, receberam a vida divina, a incomparável dignidade de serem filhos de Deus. O Papa também disse que "o anúncio de Jesus e seu Evangelho não foi em nenhum momento, a alienação das culturas pré-colombianas, nem foi uma imposição de uma cultura estrangeira"(Bento XVI, Discurso Inaugural, 13 de maio de 2007).
Comentando o tema da Conferência, "Discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que nossos povos Nele tenham vida", o Papa observou que os batizados estão convencidos de que podem encontrar em Cristo a vida divina, e por isto querem levar a todos o dom que encontraram Nele. A Igreja deve sempre seguir o caminho do Evangelho, sem recorrer a critérios emprestados por ideologia, não apenas estranha, mas também em contraste com o Evangelho. Para fazer este trabalho de evangelização e de anúncio, é um requisito indispensável o conhecimento da Palavra de Deus", caso contrário, como anunciarão uma mensagem cujo conteúdo e espírito não conhecem profundamente?" (Bento XVI, ib.).
Não podemos esquecer que a evangelização esteve sempre ligada ao desenvolvimento humano e à autêntica libertação cristã. Portanto, Bento XVI afirma: "Amor a Deus e amor ao próximo se fundem num todo: no mais pequeno encontramos o próprio Jesus e em Jesus encontramos Deus" (Deus caritas est, 15). É necessário ser discípulos para poder ser missionários. Discipulado e missão são como duas faces da mesma moeda: quando o discípulo está apaixonado por Cristo, não pode deixar de anunciar ao mundo que só Ele é a nossa salvação.
Junto com os Bispos latino-americanos rezamos para que o Continente da Esperança possa ser também o continente onde todos os fiéis se sintam missionários do amor, da vida e da paz de Jesus Cristo. (Agência Fides 29/10/2010)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network