http://www.fides.org

Asia

2004-07-28

ÁSIA/ÍNDIA - Não esquecer o caso O’Connor, o indiano preso na Arábia Saudita por sua fé cristã: o apelo de Middle East Concern

Nova Délhi (Agência Fides) - Continuar a campanha internacional de oração e não cessar a mobilização política pela libertação de Brian Savio O’Connor, o cristão originário do estado indiano de Karnataka, torturado e encarcerado na Arábia Saudita por sua fé cristã. É o apelo lançado em todo o mundo e enviado à Agência Fides, por Middle East Concern (MEC), organização que controla a condição dos cristãos nos países árabes e assinala à opinião pública as violações mais clamorosas dos direitos humanos e da liberdade religiosa.
Middle East Concern recorda a situação injusta em que se encontra O’Connor, preso em Riad, depois de ser agredido e torturado pela polícia religiosa saudita. O próprio O’Connor, destaca o MEC, disse a uma pessoa que pôde encontrá-lo na prisão que não existem provas de seu consumo de álcool e droga, crimes pelos quais é acusado. “Há um grande mal-estar porque Brian continua preso - afirma o MEC - é preciso continuar a seu lado, rezando ao Pai Celeste, para que sua fé continue forte, hoje e sempre. É preciso também prosseguir com a conscientização da opinião pública internacional e dos governos a fim de que insistam com as autoridades por sua libertação”.
Em junho passado, a Conferência Episcopal da Índia pediu ao governo indiano uma medida diplomática oficial para obter das autoridades sauditas a libertação de O’Connor. Em toda a Índia, especialmente no estado de Karnataka, a Igreja lançou um apelo aos fiéis pedindo-lhes sua oração para que o caso se conclua de modo feliz.
Também a All India Catholic Union, associação que representa 16 milhões de fiéis leigos indianos, enviou uma carta de protesto ao Rei saudita, pedindo a libertação de O’Connor e o respeito da liberdade religiosa.
O’Connor foi agredido e torturado meses atrás por rezar a Jesus Cristo. A responsável pela agressão é a polícia religiosa saudita “Muttawa”, que o incriminou por uso de droga, acusação que o pode levar à pena de morte. Os familiares destacam que a polícia saudita tentou também converter Brian ao Islamismo, ameaçando-o de morte. (PA) (Agência Fides 28/7/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network