http://www.fides.org

Asia

2004-07-07

ÁSIA/ÍNDIA - Sim dos Bispos indianos à lei para proteger as minorias religiosas, anunciada pelo governo - Link do Arquivo da Fides: as origens do cristianismo na Índia

Nova Délhi (Agência Fides) - Os Bispos indianos apreciaram e acolheram de modo favorável o anúncio do governo de promulgar uma lei para proteger as minorias religiosas na Índia. Foi o que anunciou à Agência Fides Pe. Babu Joseph, Porta-voz da Conferência Episcopal Indiana, que reúne os Bispos dos três ritos presentes no país: latino, sírio-malabanrese e sírio-malankarese. “É um passo na justa direção, que traz novas esperanças”, disse o Porta-voz. “Todas as comunidades religiosas indianas se alegraram com esta decisão, que tem o poder de infundir nova confiança e de nos fazer sentir parte integrante da nação indiana”.
O Primeiro-Ministro Manmohan Singh - chefe do governo desde maio passado, graças à vitória do Partido do Congresso nas eleições de abril - teve recentemente em Délhi um encontro com os diversos líderes das minorias religiosas, declarando a sua intenção de favorecer a instrução e o desenvolvimento econômico-social das minorias.
O Ministro do Interior, Shivraj Patil, explicou que a nova lei - sobre a qual está de acordo também o Presidente da Federação indiana, Abdul Kalam - deverá servir para evitar a violência entre comunidades de diversas culturas e religiões e vai atingir aqueles que instigam ou propagam desordens sociais e colocam em perigo a harmonia do país.
Pe. Babu destacou à Fides que “também no recente encontro com a cúpula da Igreja Católica, o Primeiro-ministro garantiu que o seu governo fará o possível para o bem-estar das minorias”.
A medida anunciada por Nova Délhi é a resposta aos ataques que nos últimos anos atingiram principalmente a comunidade muçulmana - como aconteceu em Gujarat em 2002 - e aquela cristã, sob mira em diversos Estados da Federação.
Os grupos que lançaram esses ataques promovem a ideologia do hindutva (hinduidade) que prega o princípio “um povo, uma língua, uma cultura”, e promove uma nação indiana completamente conforme à cultura e à religião hindus, na qual as minorias religiosas não têm lugar. Esses grupos são partidários do partido que governou a Índia na última legislação, o Baratiya Janata Party. O partido, mesmo derrotado nas últimas eleições, declarou que não pretende mudar a própria ideologia, que no passado alimentou a intolerância.
No entanto, uma semana atrás, na diocese de Poona, no Estado de Maharashtra, uma multidão hindu invadiu uma paróquia católica, depois de uma briga banal entre um hindu e um católico. Os militantes que desfecharam o ataque, que provocou alguns feridos, eram membros do Vishwa Hindu Parishad (Conselho Mundial Hindu), um grupo que quer fazer da Índia um Estado teocrático.
(PA) (Agência Fides 7/7/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network