http://www.fides.org

Vaticano

2003-07-02

VATICANO - A CATEQUESE DO PAPA. “NÃO ESTAMOS ABANDONADOS A NÓS MESMOS, OS ACONTECIMENTOS DOS NOSSOS DIAS NÃO SÃO DOMINADOS PELO CÁOS OU PELA FATALIDADE” – APELO PELA PAZ NA LIBÉRIA E UGANDA

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – Durante a Audiência geral de hoje, quarta-feira, 2 de julho, o Santo Padre João Paulo II comentou o Salmo 145 – Feliz quem espera no Senhor – e ao final da audiência pronunciou um apelo em favor da paz em algumas regiões do continente Africano.
O salmo 145 “ tem o seu vértice na proclamação da soberania de Deus sobre a história humana. No final do salmo se declara, de fato, que o “Senhor reina para sempre”, disse o Santo Padre em sua catequese. “Nos confere uma consoladora verdade: não estamos abandonados a nós mesmos, os acontecimentos dos nossos dias não são dominados pelo cáos ou pela fatalidade, os acontecimentos não representam uma mera sucessão de atos privos de sentido e meta. Desta convicção se desenvolve uma verdadeira profissão de fé em Deus, celebrada com uma espécie de ladainha em que se proclamam os atributos de amor e de bondade que lhes são próprios”.
O homem se encontra diante de uma escolha entre duas possibilidades contrastantes: “ de um lado, existe a tentação de confiar nos poderosos adotando os seus critérios inspirados na maldade, no egoísmo e no orgulho”, enquanto a outras estrada “é aquela exaltada pelo Salmista com uma bem-aventurança: “Bem-aventurado quem tem por auxílio o Deus de Jacó, que espera no Senhor seu Deus”. É este o caminho de confiança no Deus Eterno e Fiel. O amém, que é o verbo hebraico da fé, significa justamente um fundar-se na solidez indestrutível do Senhor, sobre a sua eternidade , sobre a sua potência infinita. É necessário viver na adesão ao querer divino, oferecer o pão aos famintos, visitar os prisioneiros, apoiar e confortar os doentes, defender e acolher os estrangeiros, dedicar-se aos pobres e aos miseráveis. è, na prática, o mesmo espírito das Bem-aventurança”.
Ao final da audiência, o Santo Padre deixou o seguinte apelo pela paz em algumas regiões da África: “Com profunda tristeza sigo os dramáticos acontecimentos da Libéria e da região setentrional da Uganda. Faço apelo ao esforço de todos afim que aquelas populações africanas reencontrem paz e segurança, e não seja negados a elas o futuro a que têm direito. Exprimo além disso a minha proximidade com as Igrejas locais, duramente atingidas nas pessoas e nas obras, enquanto que encorajo os Pastores e os fiéis todos a serem fortes e constantes na esperança. Os obtenham da misericórdia divina a nossa insistente oração!”(S.L) (Agência Fides 2/07/2003 – linhas: 32; palavras: 445)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network