http://www.fides.org

Ciência e Medicina

2004-06-21

EUROPA/ITÁLIA - A fome no mundo: cerca de 1/3 da população mundial tem alimentação insuficiente, e mais de 600 milhões de pessoas não têm acesso à água potável no mundo

Roma (Agência Fides) - Pobreza significa fome imediata. No mundo, mais de 1 bilhão e 300 milhões de pessoas (cerca de 1/3 da população mundial) tem alimentação insuficiente. Destes, segundo a OMS, pelo menos 500 milhões não dispõem nem de 1500 calorias por dia, o que se considera como fome absoluta. Segundo estimativas, 80% da população mundial em condições de pobreza estrema vive em Países em desenvolvimento.
Normalmente, uma alimentação suficiente deve garantir pelo menos 2.000 calorias por dia.
As conseqüências da fome, como emagrecimento, apatia, fraqueza muscular, depressão do sistema nervoso, pouca resistência às doenças, envelhecimento precoce, morte por inédia, manifestam-se, sobretudo em crianças, cuja mortalidade è muito alta. Também as doenças parasitárias e infecciosas castigam os famintos, não somente por estarem desnutridos, mas também pelas precárias condições higiênicas em que vivem (água poluída, carência de sistemas hídricos, etc). O UNICESF calcula que a causa principal da morte de crianças de até 5 anos seja a desidratação devida às contínuas diarréias provocadas por infecções intestinais.
A principal causa da fome no mundo não è a insuficiente produção alimentar, mas a impossibilidade, para os mais pobres, de adquirir os alimentos produzidos. Os preços dos gêneros alimentares são altos demais para a renda média da população do Terceiro Mundo. Nos países avançados, os custos com alimentação representam 20-25% da renda familiar, enquanto nos países pobres, constitui até 80% de suas entradas. De 1970 a 198, a produção alimentar total (cereais, legumes, batatas, carne, etc) aumentou em 47%. O incremento populacional, no mesmo período, em nível mundial, foi de 1,9%, enquanto no terceiro Mundo, alcançou 2,5% por ano.
O problema da sede não é secundário. As últimas pesquisas indicam que na África, cerca de 75% da população rural não têm acesso à água potável, na América Latina, 77%; no Extremo Oriente, cerca de 70%. Em valores absolutos, são mais de 600 milhões as pessoas no mundo sem água potável. (AP) (21/6/2004 Agência Fides)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network