http://www.fides.org

America

2003-06-25

AMÉRICA/BRASIL - 18ª SEMANA DOS EMIGRANTES DEDICADA AOS ANCIÃOS: O DRAMA DE MILHÕES DE PESSOAS FORÇADAS A ABANDONAREM CASA E FAMÍLIA PARA FUGIR DA FOME

Brasília (Agência Fides) – por ocasião do Dia Mundial do Migrante 2003 (no Brasil, celebrado no domingo, 22 de junho) em sintonia com a Campanha da Fraternidade, cujo tema este ano foi “Fraternidade e Pessoas Idosas”, o Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM), ligado ao Setor de Pastoral Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promoveu entre 15 a 22 de junho a 18ª Semana dos Migrantes.
Com o tema “Migração e Pessoas Idosas” e o lema “Os nossos pais nos contaram”, a edição de 2003 da semana dos Migrantes foi celebrada em diversas dioceses e paróquias do Brasil, com o objetivo central de levar á luz o modo como a migração forçada de uma região a outra do país atinge a vida sobretudos dos anciãos. Segundo o Presidente da SPM, Dom Andrè de Witte, Bispo de Ruy Barbosa – BA, “ a nossa atenção dirige-se de modo especial aos anciãos, aqueles emigrados e aqueles que têm parentes emigrados, afim que seja bem acolhidos e valorizados: tanto aqueles que partem em seu peregrinar, como aqueles que ficam e devem suportar a fadiga do trabalho duplicado, e todos naquilo que têm para contar!”
No Brasil, a migração é um fenômeno socioeconômico que, além das grandes concentrações de populações nos Centros Urbanos – como São Paulo e Rio de Janeiro – e o abandono do campo, sobretudo no Nordeste do País, é também um fator de desagregação familiar. de fato, sobretudo nas regiões onde a falta de uma política de desenvolvimento agrário se faz presente ou de clima árido, milhares de pessoas, para fugir da fome ou buscar melhores condições di vida, deixam as suas famílias (pais, esposas, filhos) para buscar fortuna nos centros industrializados. Não tendo um preparo profissional ou escolar adequado que lhes permita inserir-se no mercado de trabalho, são obrigados a aceitar os trabalhos mais simples – e por vezes mais pesados – com ganhos mensais que não lhes permite uma vida digna e tão pouco, reunir novamente a família que tiveram que deixar para trás. Como conseqüência, muitas mulheres se tornam viúvas de maridos vivos, tendo que sustentar sozinhas a família; muitas avós são obrigadas a assumir o papel de mãe de seus netos, que por sua vez tornam-se órfãos de pais vivos.
Além de trazer à tona as conseqüências da migração para os anciãos, a 18ª Semana dos Migrantes teve também como objetivos sensibilizar a sociedade sobre as suas responsabilidades em relação aos idosos e sobre a necessidade de desenvolver políticas públicas capazes de garantir aos idosos o respeito aos seus direitos. O material usado pelos movimentos, paróquias e dioceses para esta Semana dos migrantes foi produzidos pela SPM e constou de um “kit” que compreendia o texto base, círculo bíblico e cartazes. Como encerramento, a SPM sugeriu uma celebração em 22 de junho, Dia do Migrante, com sinais e cantos de acordo com o tema.
(M.R) (Agência Fides, 25/06/2003 – linhas: 36; palavras: 497)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network