http://www.fides.org

Africa

2003-06-26

ÁFRICA/SOMÁLIA - O RECONHECIMENTO DA AGÊNCIA ONU PARA OS REFUGIADOS A UMA VOLUNTÁRIA ITALIANA EMPENHADA HÁ 33 ANOS COM OS DOENTES DE TBC AO NORTE DA SOMÁLIA, “GRITANDO O EVANGELHO COM A VIDA”

Genebra (Agência fides) – Prestigioso reconhecimento para uma voluntária italiana de 33 anos empenhada na assistência às populações somálias atingidas pela tuberculose. Ontem, 25 de junho em genebra, o Alto Comissariado pelas nações Unidas (UNHCR) entregou o Prêmio Nansen para os refugiados à doutora Annalena Tonelli, fundadora de um hospital com 200 leitos para os doentes de tuberculose em Borama, no extremo nordeste da Somália, fronteira coma Etiópia e com Djibouti.
A Agência Fides contou a heróica aventura da doutora Tonelli há um ano. “Vim para a África decidida a ‘gritar o Evangelho com a vida sob inspiração de Charles de Foucaud” disse na ocasião (ver Fides 25/06/2002). “Não sou médica. Sou formada em direito, ainda que é verdade que tenho alguns certificados de diplomas em medicina. todavia sou “advisor” da Organização Mundial da Saúde no campo do controle da Tuberculose. Também sou pioneira da “Global Policy” lançada pela OMS em 1993 para o controle da tuberculose no mundo, denominada DOTS (Directly Observed Therapy Short chemotherapy)”.
A Dra. Tonelle havia descrito assim os desafios que deve enfrentar a cada dia: “A tuberculose é uma das primeiras infecções oportunistas que os doentes de HIV contraem em zonas endêmicas como a Somália, os doentes terminais de Aids chegam até nós quando estão infectados pela Tuberculose. Enquanto cuidamos da tuberculose, cuidamos também de todas as infecções oportunistas que os doentes contraem por causa da queda das defesas do sistema imunitário”.
O “Prêmio Nansen para os refugiados” é conferido a cada ano a indivíduos ou organizações que se notabilizaram pelo seu empenho em favor dos refugiados. foi instituído em 1954 e toma o nome do norueguês Fridtjof Nansen, primeiro alto funcionário internacional para os refugiados. prevê a entrega de uma soma de 100 mil dólares a serem destinados a um projeto para os refugiados, escolhido pelo vencedor do prêmio.
Dra. Tonelli vive uma vida modesta, alimentando-se com o mesmo alimento que oferece aos seus pacientes” afirma o Alto Comissário Ruud Lubbers ao anunciar, em abril passado, a nomeação da doutora Tonelli como vencedora do prêmio. “Durante os últimos três decênios, em particular em períodos críticos e de rápidas mutações como o atual, a sua tranqüila devoção em ajudar quem está em dificuldade representa a prova tangível que as pessoas como indivíduos podem ainda fazer uma enorme diferença”.
(L.M) (Agência Fides 26/06/2003 – linhas: 34, palavras: 435)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network