http://www.fides.org

Europa

2004-05-25

EUROPA/ITÁLIA - O Papa que salvou os judeus. Dos arquivos secretos do Vaticano, toda a verdade sobre Pio XII. Um livro de Matteo Luigi Napolitano e Andrea Tornielli. A Agência Fides entrevistou um dos autores

Roma (Agência Fides) - Será apresentado na segunda-feira, 31 de maio, às 16h na Aula Magna da Universidade Lumsa (Libera Università Maria Santissima Assunta), o livro de Matteo Luigi Napolitano e Andrea Tornelli, intitulado: “O Papa que salvou os judeus” (Piemme), dedicado à figura de Pio XII, reconstruída graças aos documentos inéditos do Arquivo Secreto Vaticano. Vão intervir, entre outros, o senador Giulio Andreotti, o jesuíta padre Pierre Blet e o reitor da Lumsa, Giuseppe Dalla Torre.
«Este livro - lê-se na no prefácio assinado pelo embaixador Sergio Romano - tem o mérito de evidenciar, com uma documentação detalhada, um paradoxo do qual a minha geração foi testemunha direta. Durante alguns anos, depois do fim da guerra, Pio XII foi louvado e agradecido, principalmente pelas comunidades judias, pela coragem e a generosidade com as quais defendeu e salvou um numero elevado de judeus das perseguições nazistas... Depois, de modo improvisado, esse juízo foi invertido».
A Agência Fides fez algumas perguntas a um dos autores, o especialista em Vaticano, Andrea Tornielli.
Quais são as novidades contidas no livro?
«Analisamos e publicamos dezenas de documentos provenientes do Arquivo Secreto do Vaticano, disponibilizados nos meses passados por decisão do Papa João Paulo II, relativos às relações entre Santa Sé e Alemanha durante o pontificado de Pio XI, quando o futuro Papa Pio XII ainda era Cardeal Secretário de Estado».
E o que emergiu desses documentos?
«Dos documentos resulta de modo inequívoco que a Santa Sé, na imediata ascensão ao poder por parte de Hitler, interveio em favor dos judeus para dissuadir a Alemanha nazista das políticas discriminatórias em relação a eles. Foi pessoalmente Pacelli a insistir, pedindo ao Núncio Apostólico em Berlim, Cesare Orsenigo, que se interessasse pelo problema judeu. Sempre nos foi dito que o Vaticano permaneceu surdo e prudente, enquanto intervieram alguns representantes dos episcopados. Na realidade, as cartas contam uma verdade diferente: foi a Santa Sé a incentivar os episcopados».
O que fez materialmente Pio XII em favor dos judeus?
«No livro, não somente citamos a enorme quantidade de dados já conhecidos, mas infelizmente esquecidos, relativos às iniciativas para salvar os judeus, mas revelamos também, graças a novos testemunhos, detalhes inéditos das decisões passadas pela Santa Sé a muitas dioceses italianas. Trata-se de uma carta do Vaticano que pedia explicitamente aos bispos que adotassem todas as medidas possíveis para ajudar os judeus perseguidos».
No livro existe um capitulo impiedoso onde são denunciados erros, falsidades, omissões e incríveis despropósitos presentes em muitas publicações sobre Pio XII. Por que esta parte foi escrita?
«Para tentar demonstrar ao que pode levar o uso em um único sentido dos documentos e o desprezo pela voz viva das testemunhas, que têm credibilidade e são utilizadas somente se jogam lenha na fogueira das acusações, enquanto são sistematicamente ignoradas quando suas afirmações seguem outra direção. Infelizmente, esses erros não aparecem somente nos jornais, mas também em livros de historiadores e professores sérios. Acreditamos justo referi-los».
Voltaremos a falar do livro no dia da sua apresentação . (AP) (25/5/2004 Agência Fides)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network