http://www.fides.org

Vaticano

2004-05-17

VATICANO - O Papa canoniza 6 Bem-aventurados: “A verdadeira paz é fruto da vitória de Cristo sobre o poder do mal, do pecado e da morte. Aqueles que o seguem fielmente se tornam testemunhas e construtores da sua paz”

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - No VI Domingo de Páscoa, 16 de maio, o Santo Padre João Paulo II celebrou a Eucaristia na Basílica de S. Pedro e canonizou seis bem-aventurados: quatro presbíteros, uma religiosa e uma leiga, mãe de família. “‘Minha paz eu vos deixo’ (Jo 14,27). No tempo pascal, escutamos muitas vezes essa promessa de Jesus a seus discípulos - disse o Papa na homilia -. A verdadeira paz é fruto da vitória de Cristo sobre o poder do mal, do pecado e da morte. Quem o segue fielmente se torna testemunha e construtor da sua paz. Nesta ótica, gosto de contemplar os seis novos Santos, que a Igreja apresenta hoje para universal veneração: Luís Orione, Annibale Maria Di Francia, Josep Manyanet y Vives, Nimatullah Kassab Al-Hardini, Paula Elisabete Cerioli, Gianna Beretta Molla.”
O Santo Padre, em seguida, traçou o perfil espiritual dos novos Santos. S. Luís Orione, “homem totalmente empenhado pela causa de Cristo e do seu Reino”, não se deixou vencer pelos sofrimentos físicos e morais, fadigas, dificuldades, incompreensões, obstáculos de todo tipo. “O coração deste estrategista da caridade foi ‘sem confins porque dilatado pela caridade de Cristo.’”
O amor pelo Senhor leva Padre Annibale Maria Di Francia a dedicar toda a sua existência ao bem espiritual do próximo. Aos seus filhos espirituais “deixou a tarefa de trabalhar com todas as forças para que a oração pelas vocações fosse "incessante e universal".
S. José Manyanet foi um autêntico apóstolo da família. “Inspirando-se na escola de Nazaré, realizou o seu projeto de santidade pessoal e se dedicou, de modo heróico, à missão que o Espírito lhe confiou. Por isso, fundou duas Congregações religiosas. Um sinal visível do seu zelo apostólico é representado também pela Sagrada Família em Barcelona.”
Homem de oração, que amava adorar por longo tempo a Eucaristia, S. Nimatullah Kassab Al-Hardini constitui “um exemplo para os monges da Ordem Libanesa Maronita, como para os seus irmãos libaneses e para todos os cristãos mundo. Doou-se completamente ao Senhor com uma vida de grandes renúncias, demonstrando que o amor de Deus é a única autêntica fonte de alegria e de bem-estar para o homem”.
Contemplando a Sagrada Família, Santa Paula Elisabete Cerioli “intuiu que as comunidades familiares permanecem sólidas quando os laços de parentela são apoiados e fundamentados na compartilha dos valores da fé e da cultura cristã... Estava de fato convencida de que os filhos, para crescerem seguros e fortes, necessitam de uma família sã e unida, generosa e estável”.
No exemplo de Cristo, que "tendo amado os seus… os amou até o extremo" (Jo 13,1), Gianna Beretta Molla, mãe de família, “manteve-se heroicamente fiel ao empenho assumido no dia do matrimônio. O sacrifício extremo que selou a sua vida testemunha como só quem tem a coragem para entregar-se totalmente a Deus e aos irmãos se realiza pessoalmente”.
“As vicissitudes terrenas destes seis novos Santos - disse o Santo Padre - nos encorajam a perseverar no próprio caminho, confiando na ajuda de Deus e na proteção materna de Maria. Que velem do céu agora por nós e nos apoiem com sua poderosa intercessão.”
No final da Santa Missa, antes de recitar o Regina Cæli, João Paulo II dirigiu sua saudação aos numerosos fiéis presentes para as canonizações. Em especial, invocou a intercessão de S. Nimatullah Kassab Al-Hardini para que seus compatriotas libaneses “progridam no caminho da paz e da fraternidade” e aos peregrinos de língua espanhola fez votos para que caminhem “pela estrada da Santidade”, no exemplo da Santa Família de Nazaré. (S.L.) (Agência Fides 17/5/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network