http://www.fides.org

Vaticano

2004-05-11

VATICANO/CANONIZAÇÃO DE 16 DE MAIO - Pe. Annibale M. Di Francia (1851-1927): rezar pelas vocações, a serviço das crianças e dos pobres

Cidade do Vaticano (Agência Fides) - Pe. Annibale Maria Di Francia nasceu em Messina (Itália) em 5 de julho de 1851, em uma família nobre. Muito jovem, durante a adoração da Eucaristia, fonte inspiradora da sua vida, intuiu por divina inspiração a primazia da oração na pastoral das vocações. Os versículos do Evangelho: “A colheita é grande, mas poucos são os operários! Pede (“Rogate”) pois ao Senhor da colheita que envie operários para a sua messe” (Mt 9,37-38; Lc 10,2) se tornaram a luz da sua vida e a fonte do seu apostolado.
Ainda jovem, sentiu, de modo claro, o chamado ao sacerdócio. Impulsionado pelo zelo da salvação e pelo socorro de todas as pessoas, principalmente dos pobre e dos órfãos, dedicou-se à promoção humana e espiritual em uma das regiões mais pobres e degradas da cidade, o bairro Avignone. Foi neste bairro, completamente transformado pela sua atividade apostólica, que foram abertos os Orfanatos Antoniani (em 1882 o feminino, e em 1883 o masculino) para acolher, socorrer e formar “civilmente e religiosamente” a juventude mais necessitada.
Atraídos pelo seu carisma, uniram-se a ele homens e mulheres que se empenharam no mesmo apostolado. Assim, em 1887, fundou a Congregação das Filhas do Divino Zelo, e em 1897 a Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus, com a tarefa de viver e difundir o ensinamento de Jesus sobre a necessidade da oração para as vocações, e o serviço para as crianças e para os pobres, também em terra de missão. Sacerdote zeloso, cultivou e pregou o amor pela palavra de Deus, pela Eucaristia, pela Virgem Maria e pelos Santos, manifestando especial devoção e espírito de obediência em relação ao Papa e aos Bispos, sucessores dos Apóstolos.
Trabalhou com todos os meios para a difusão do “Rogate”, o mandamento de Jesus para pedir ao Senhor da messe pelo dom dos “bons operários”, acreditando ser um instrumento eficaz de evangelização e serviço de caridade. Instituiu para todos os fiéis a União de oração pelas vocações. O sonho de que essa oração “se tornasse universal” se realizou com a instituição do Dia Mundial de Oração pelas Vocações, por parte do Papa Paulo VI (1964). Concluiu sua vida terrena em 1° de junho de 1927 em Messina. É unanimemente reconhecido como “autêntico predecessor e zeloso mestre da moderna pastoral vocacional” e como “verdadeiro pai dos órfãos e dos pobres”. João Paulo II o proclamou bem-aventurado em 7 de outubro de 1990 e santo em 16 de maio de 2004.
As duas Famílias fundadas por Pe. Annibale, as Filhas do Divino Zelo e os Rogacionistas, estão hoje presentes em todo o mundo com seu apostolado específico: missões, paróquias, santuários, centros de espiritualidade vocacional e de difusão da oração pela vocações, escolas, colégios, institutos para portadores de deficiências, centros sociais de acolhimento e evangelização dos pobres e dos marginalizados, especialmente dos jovens necessitados.
Os Rogacionistas são hoje 383, presentes em 48 comunidades na Itália, Espanha, Polônia, Albânia, Brasil, Argentina, Paraguai, EUA, Ruanda, Camarões, Índia, Filipinas, Coréia do Sul, Vietnã, Papua Nova Guiné. As Filhas do Divino Zelo são 585, em 72 comunidades nos seguintes países: Itália, Espanha, Albânia, EUA, México, Bolívia, Brasil, Ruanda, Camarões, Índia, Coréia do Sul, Filipinas, Indonésia, Austrália.
A experiência espiritual de Pe. Annibale e a sua especial missão são ainda compartilhadas por numerosos leigos, homens e mulheres, que se empenham em viver o espírito do “Rogate” na Igreja, de forma privada ou em grupo. Na experiência comunitária, os mais envolvidos são os jovens e suas famílias. Sacerdotes, religiosos, irmãs, consagradas leigas e leigos formam a Família do “Rogate”, empenhada em viver e difundir a oração pelas vocações e o amor pelo próximo mais necessitado. “A união de oração pelas vocações”, desejada pelo próprio Padre Annibale, é a “casa comum” da Família do “Rogate”. Dela podem participar todos os batizados que queiram se empenhar estavelmente em rezar pelas vocações. (S.L.) (Agência Fides 11/5/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network