http://www.fides.org

Asia

2003-05-06

ÁSIA/CHINA - MAIS ACESSOS, MAIS TRÁFICO, MAIS LIBERDADE ATRAVÉS DA INTERNET NA CHINA DEPOIS DA SARS, QUE AJUDA TAMBÉM OS ESTUDANTES COM AS ESCOLAS FECHADAS.

Pequim (Agência Fides) – O fenômeno da pulmonite atípica teve um efeito, pelo menos, benéfico para a população chinesa: maior liberdade no uso da Internet, até então estritamente controlada pelo governo. Após as demissões de dois altos funcionários governativos (o Ministro da Saúde e o Prefeito de Pequim), numerosos sites chineses da Internet começaram a difundir as notícias sobre a SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome) com em grande quantidade e tempestividade. O tráfico na Internet cresceu e as malhas da censura se alargaram, sobretudo porque Pequim deveria recuperar-se após a perda de imagem devida a falta de transparência de informação demonstrada na primeira fase da epidemia.
É bom lembrar que foi exatamente através da Internet que chegou o alarme sobre a SARS: após os primeiros casos confirmados da doença, quatro jovens de Hong Kong difundiram notícias no site Internet que despertou a atenção local e, em seguida, também a internacional sobre a SARS. A importância deste alarme lançado on-line é inegável, sobretudo no Continente chinês.
Atualmente a Internet possui uma importante tarefa para combater a pulmonite atípica, a partir do ponto de vista científico e humano. Em Pequim, o hospital que congrega os doentes de SARS está em constante ligação através da Web com os laboratórios de pesquisa, intercambiando uma preciosa documentação e efetuando as necessárias consultas.
Através das novas tecnologias de comunicação (Internet e vídeo-fone) os cientistas de todo o mundo seguem o desenvolvimento da SARS, recolhendo informações úteis que servem no combate ao vírus. Numerosas conferências e reuniões entre médicos e cientistas, numa distância de milhares de quilômetros, colocam-se on-line ou se comunicam através de e-mail, enquanto que muitos pesquisadores colocam a disposição os resultados das suas pesquisas pelo computador.
Também a população de Pequim, obrigada a viver em regime de quarentena, usa a Internet como um meio indispensável de contato com o mundo externo: médicos e pacientes saúdam os próprios parentes através do vídeo-fone, trocando informações com os pesquisadores e procurando atualizar-se sobre todos os detalhes na luta contra o vírus.
Enquanto o Ministério da Educação anunciou outras duas semanas de fechamento das escolas, a Internet hoje serve, sobretudo aos estudantes, para não perder preciosas semanas de aulas: no dia 06 de maio se inaugura oficialmente a Escola on-line coordenada pela Comissão Educativa da Prefeitura de Pequim.
Mas é preciso também saber defender-se da Internet: sobre a rede também são difundidas notícias inesperadas que em alguns casos geraram pânico e confusão. Com o passar do tempo, os usuários chineses aprenderam a utilizar a Internet com prudência e cautela.(Agência Fides 05/05/2003 Lines: 38 Words: 444).

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network