http://www.fides.org

Asia

2004-03-16

ÁSIA/PAQUISTÃO - “Uma ceia com os irmãos cristãos, no fim do jejum quaresmal”: delegação cristã recebida pelos líderes muçulmanos da maior mesquita do país

Lahore (Agência Fides) - Aumenta a colaboração e multiplicam-se os gestos de amizade islâmico-cristã no Paquistão. Depois da primeira visita de uma delegação cristã a Mesquita “Badshahi”, em Lahore, o maior templo islâmico do país, em janeiro passado, o líder religioso responsável pela Mesquita, o maulana Muhammad Abdul Qadir Azad deu nova prova de cordialidade, em 11 de março passado.
De fato, os muçulmanos convidaram uma delegação de 25 membros da Comissão Episcopal para o Diálogo inter-religioso para um encontro na Mesquita. A delegação era liderada por Pe. Francis Needam, Secretário da Comissão. Estavam presentes também Pe. John Joseph, frei capuchinho da Arquidiocese de Lahore engajado no diálogo, e numerosos representantes da Majlis-Ulema-e-Pakuistan, organismo que reúne diversos líderes religiosos e intelectuais islâmicos paquistaneses.
O convite se relacionava com o tempo da Quaresma: de fato, foi imaginado como um momento de partilha de uma ceia, ao fim do jejum. O hábito de interromper o jejum com o por do sol, com o iftar (refeição de fim de jejum cotidiano) faz parte da tradição islâmica do Ramadã, mas muitos cristãos do Paquistão a adotam no tempo da Quaresma. Durante o Ramadão, é comum que os cristãos sejam convidados por amigos e parentes a participar do iftar, e não é raro que os próprios cristãos organizem um iftar para seus amigos muçulmanos.
Segundo Husain Ahmed Awan, membro do Comitê para a paz de Punjab, o gesto demonstra o grande respeito que os adeptos de Maomé nutrem pelos não-muçulmanos. “Se esse processo continuar, construiremos grandes pontos entre islâmicos e cristãos. No futuro, devemos sustentar-nos e aceitar-nos uns aos outros. O gesto de hoje dará coragem a todos os homens de boa-vontade”.
Segundo Allam Muhammad Zubair Ahmed Zhaer, líder do Comitê Central da organização islâmica Alh-e-ehadith, “os terroristas não têm legitimação religiosa. Eles pensam somente no dinheiro, e não na humanidade. O Alcorão ensina que as pessoas de todo o universo pertencem à humanidade, e que Deus quer que as pessoas de todas as crenças vivam juntas em paz. O mundo de hoje precisa de amor, de respeito e de harmonia”.
Tomando a palavra, o maulana Muhammad Abdul Qadir Azad agradeceu a delegação cristã por ter aceitado o convite, e acrescentou: “Devemos trabalhar juntos para criar paz e harmonia entre nós. Condenamos o terrorismo no Paquistão, e agradecemos a Comissão Episcopal para o Diálogo, que nos convidou a interromper o jejum durante o mês do Ramadão. Hoje, retribuímos aquele gesto de amizade, recordando que todos nós descendemos do nosso pai comum na fé, Abraão. Estou certo de que essa iniciativa vai prosseguir, nos próximos anos”.
Em seu discurso, Pe. Nadeem expressou também sua alegria pela ocasião, observado que “o maulana seguiu as pegadas de seu pai, que no passado, tanto fez para incrementar a compreensão recíproca entre as religiões, no Paquistão. A missão de nossa Comissão é promover o amor, a harmonia e a paz no território paquistanês. Devemos levá-la adiante, para garantir um futuro próspero ao país e ao mundo inteiro. Se soubermos continuar nesse caminho, as gerações futuras receberão grandes bênçãos. Os líderes religiosos devem ser um modelo para as crianças e para todos os fiéis. É nosso dever trabalhar juntos para fazer do país um lugar aonde ser feliz. Isso ajudará a criar paz e reconciliação”.
Segundo muitos presentes, o evento é muito importante no caminho do diálogo islâmico-cristão no país, pois tem um grande valor simbólico e pode servir de exemplo para os fiéis de todas as religiões. Após os pronunciamentos, os cristãos rezaram pela prosperidade e a estabilidade do país, assim como os muçulmanos. Enfim, a assembléia, composta por mais de 700 pessoas, compartilhou a ceia.
A Mesquita Badshahi de Lahore data do século XVII, e é uma herança do império Mughal. O espaço diante do edifício, segundo alguns, é o maior do mundo, capaz de acolher mais de 100 mil fiéis.
Entre outras recentes iniciativas de diálogo no Paquistão, 150 estudantes, cristãos e muçulmanos, da Escola S. Lawrence, de Lahore, partilharam um dia de jejum e uma ceia, em amizade, em clima de fraternidade.
(PA) (Agência Fides 16/3/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network