http://www.fides.org

America

2004-02-10

AMÉRICA/HONDURAS - “Não é possível ser membro vivo do Corpo de Cristo… e ser cúmplice na promoção de métodos abortivos”: a denúncia da Conferência Episcopal de Honduras

Tegucigalpa (Agência Fides) - A Conferência Episcopal de Honduras denuncia com firmeza a campanha de promoção e distribuição de pílulas anticoncepcionais empreendida pela Associação hondurenha de planejamento familiar (ASHONPLAFA) e pela Secretaria de Saúde Pública de Honduras, em colaboração com Marie Stopes Honduras (a maior cadeia de clínicas abortivas da Grã-Bretanha). O comunicado dos Bispos de Honduras, divulgado no dia 6 de fevereiro, destaca que “a vida é o maior dom de Deus aos seres humanos e, de conseqüência, somente o Criador pode doá-la. O homem e a mulher são colaboradores de Deus na transmissão da vida”, portanto “o aborto é um crime abominável que vai de encontro com o quinto mandamento da Lei de Deus: Não matarás”... “A pílula do dia seguinte - prosseguem os Bispos - é claramente abortiva, já que elimina direta e voluntariamente a vida de um ser humano que acaba de ser concebido”.
Nesta perspectiva, os Bispos da Igreja em Honduras afirmam com clareza e com força que “não se pode ser membro vivo do Corpo de Cristo, que é a Igreja, sendo cúmplice na promoção dos métodos abortivos. Quem é cúmplice, coloca-se contra o Deus da Vida e, de conseqüência, se exclui da comunhão no Corpo de Cristo”.
O Comunicado dos Bispos conclui-se com uma exortação dirigida aos sacerdotes, agentes pastorais e a todos os fiéis leigos, para que reflitam em suas comunidades sobre este grave problema, até mesmo para esclarecer equívocos de que são vítimas muitas pessoas através de mensagens publicitárias, incompletas e manipuladas, transmitidas pelos meios de comunicação. Pede-se ainda que se intensifique a oração para que esta campanha não seja uma nova tentativa para se legalizar o aborto. Os Bispos exortam de modo especial os médicos e as enfermeiras a não se tornarem cúmplices desta campanha de destruição em massa de vidas humanas. (R.Z.) (Agência Fides 10/2/2004)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network