http://www.fides.org

Europa

2003-05-23

EUROPA/UCRÂNIA -“OS FIÉIS DEVEM VALER-SE DE TODOS OS MODOS LEGAIS POSSÍVEIS PARA EVITAR A PERDA DE VIDAS HUMANAS E A HUMILHAÇÃO DA DIGNIDADE HUMANA”, AFIRMOU DOM SGRECCIA NA INAUGURAÇÃO DO SIMPÓSIO CIENTÍFICO INTERNACIONAL SOBRE BIOÉTICA.

Kiev (Agência Fides) – Cientistas, estudiosos e jornalistas provenientes da Ucrânia, Itália, Polônia, Croácia e Bielorussia participaram do Simpósio Científico Internacional proporcionado pela organização caritativa do Centro de Bioética Ucraniano “Pro Human Dignity”, em colaboração com a Comissão de Bioética do Ministério Ucraniano. Foi uma espécie de prólogo do Congresso Internacional “Family – Child – State” que se concluiu no dia 18 de maio na Capital Ucraniana. A inauguração do Simpósio “Artificial Procreation Technologies and the Future of Ukraine” foi feita pelo Vice-Presidente da Academia Pontifícia Pro-Vita, S.E.R. Dom Élio Sgreccia. Dirigindo-se aos participantes, o Bispo disse que “os fiéis não podem ser constringidos pelos vínculos da legislação que protege as suas próprias consciências, mas devem valer-se de todos os modos legais possíveis para evitar a perda de vidas humanas e a humilhação da dignidade humana”. O professor Peter Gusak colaborador do Instituto de Vida Familiar e Conjugal da Universidade Católica Ucraniana, ao examinar a legislação ucraniana, ilustrou com provas concretas que o ato ucraniano de fecundação artificial e de implantação de embriões, em andamento desde 1977, fere os direitos fundamentais do homem e, antes de tudo, o direito à vida. Atualmente, a Ucrânia possui uma taxa de natalidade muito negativo por diversos motivos originados pela crise econômica e pela ausência de previdência social para as famílias com muitas crianças. Mas uma das causas principais é a realização do programa nacional para a planificação familiar em andamento no território ucraniano. Um escrito do famoso teólogo ucraniano Alexânder Dobroyer foi dedicado a doutrina para a vida humana e a dignidade nas religiões tradicionais da Ucrânia. “Devemos recordar sempre, disse o teólogo, que a ciência serve a humanidade, mas não a sustenta”. (AP) (Agência Fides – Linhas: 27; Palavras: 312).

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network