http://www.fides.org

Vaticano

2003-12-04

VATICANO - A MENSAGEM DO PAPA PARA O DIA MUNDIAL DO ENFERMO 2004: “SE JESUS É A FONTE DA VIDA QUE VENCE A MORTE, MARIA É A MÃE CUIDADOSA QUE VAI AO ENCONTRO DE SEUS FILHOS, OBTENDO PARA ELES A SAÚDE DA ALMA E DO CORPO”

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – Foi divulgada a Mensagem do Santo Padre João Paulo II para o Dia Mundial do Enfermo, que será celebrado em 11 de fevereiro no Santuário de Nossa Senhora de Lourdes (França), onde a Virgem apareceu em 11 de fevereiro de 1858. A Mensagem, divulgada no dia 1° de dezembro, foi dirigida ao Presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde, Card. Javier Lozano Barragán. Nela, o Papa recorda que a escolha foi determinada pelo fato que em 2004 recorre os 150 anos da proclamação do Dogma da Imaculada Conceição.
"Com a Imaculada Conceição de Maria teve início a grande obra de Redenção, realizada com o sangue precioso de Cristo. (…) Se Jesus é a fonte da vida que vence a morte, Maria é a mãe cuidadosa que vai ao encontro de seus filhos, obtendo para eles a saúde da alma e do corpo. Esta é a mensagem que o Santuário de Lourdes propõe constantemente a devotos e peregrinos. Este também é o significado das curas corporais e espirituais que se registram na gruta de Massabielle".
Este prodígio, escreve ainda o Papa, recorda uma verdade fundamental: “É possível conseguir a salvação somente mediante a participação dócil no projeto redentor do Pai, que quis redimir o mundo através da morte e a ressurreição do seu unigênito Filho. A doença e a morte, mesmo permanecendo presentes na existência terrena, perdem, no entanto, seu sentido negativo. À luz da fé, a morte do corpo, derrotada pela morte de Cristo, torna-se uma passagem obrigatória para alcançar a plenitude da vida imortal".
Reiterando que: “A vida deve ser acolhida, respeitada e defendida desde o seu início até a sua morte natural”, João Paulo II diz ainda: “Fala-se de ‘engenharia genética’ em alusão às extraordinárias possibilidades que a ciência hoje oferece de intervir nas origens da vida. Todo progresso neste campo deve ser encorajado desde que respeite sempre os direitos e a dignidade da pessoa a partir do seu concebimento. Ninguém, de fato, pode apropriar-se da faculdade de destruir ou manipular de modo indiscriminado a vida do ser humano".
Por ocasião do Dia Mundial do Enfermo, o Santo Padre conclui a Mensagem agradecendo “a todos os agentes da Pastoral da Saúde, especialmente aos Bispos que nas diversas Conferências Episcopais cuidam deste setor, aos Capelães, aos Párocos e aos outros sacerdotes empenhados neste âmbito, às Ordens e às Congregações religiosas, aos voluntários e àqueles que não se cansam de oferecer um testemunho coerente da morte e ressurreição do Senhor diante do sofrimento, da dor e da morte. Agradeço ainda aos agentes sanitários, ao pessoal médico e paramédico, aos pesquisadores, especialmente àqueles que se dedicam na busca de novos medicamentos.”
(S.L.) (Agência Fides 4/12/2003; Linhas 35 – Palavras 479)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network